Serviços   O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras
  • Você está aqui:
  • Início
  • Notícias
  • Setembro Amarelo: Campus Sousa aborda os transtornos mentais

Notícia

Setembro Amarelo: Campus Sousa aborda os transtornos mentais

Campi

Grupo de Apoio Emocional foi criado para trabalhar a autoestima dos estudantes.

Por Thiago Cavalcante
Publicado: 3 de Setembro de 2019 às 16:12
Última modificação: 3 de Setembro de 2019 às 16:13

Em todo o Brasil, setembro é mês de campanha de conscientização sobre a prevenção ao suicídio. O Setembro Amarelo, como ficou conhecido, existe desde 2015 e foi criado por meio de uma parceria entre o CVV (Centro de Valorização da Vida), o CFM (Conselho Federal de Medicina) e a ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria). Segundo os idealizadores, a proposta é dar mais visibilidade à causa.

Em 2019, o assunto começou a ser abordado com mais intensidade no IFPB Campus Sousa. Em abril, um grupo multiprofissional foi criado para organizar ações de elevação da autoestima dos estudantes. O Grupo de Apoio Emocional de Prevenção ao Suicídio (GAEPS) já realizou vários encontros ao longo de cinco meses, com dinâmicas de grupo, rodas de conversa e orientação psicológica. "Em cada um dos encontros, promovemos atividades que estimulem o ato de falar, acreditando na premissa de que falar é necessário", lembrou Rayssa Almeida, assistente social.

O GAEPS foi criado pelos setores de Serviço Social e de Psicologia do Campus, que organizaram os encontros, em média, a cada quinze dias. Os encontros foram divulgados com antecedência nas redes sociais do IFPB e abertos a todos os alunos regularmente matriculados na instituição, em adesão espontânea às atividades. O Grupo funciona atrelado ao Programa Permanente de Combate ao Bullying - PraPerCeBer. "O bullying é multicausal e o Programa veio para sanar a necessidade que a escola tem de enfrentamento ao problema. É um atendimento de direito do estudante, faz parte do nosso rol de atribuições", lembrou Andreza Carla da Silva, assistente social do Campus. 

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 90% dos casos de suicídio podem ser evitados através de ações de prevenção. E a educação é a primeira medida preventiva do IFPB. "É fato que o suicídio é um fenômeno complexo, de múltiplas determinações, mas saber reconhecer os sinais de alerta pode ser o primeiro e mais importante passo. Isolamento, mudanças marcantes de hábitos, perda de interesse por atividades de que gostava, descuido com aparência, piora do desempenho na escola ou no trabalho, alterações no sono e no apetite podem indicar necessidade de ajuda", orientam os organizadores nacionais do Setembro Amarelo.

Pela abrangência do problema, falar sobre suicídio e saúde mental é fundamental em todos os ambientes sociais, inclusive na escola. "O tabu em relação ao suicídio envolve toda a sociedade. Eu acredito que a sensibilização através da informação é a nossa principal ação no Grupo", destacou Vandelúcia de Fátima Ferreira de Sousa, ex-psicóloga do Campus Sousa, que se aposentou recentemente. Vandelúcia fez parte da criação do Grupo e do primeiro ciclo do GAEPS.

De acordo com o Serviço Social, o Grupo iniciará, neste mês de setembro, um novo ciclo, voltado para a orientação social sobre a rede de serviços de atendimento e demais direitos humanos relacionados ao tema.

 

por Clébio Melo - Assessoria de Comunicação do IFPB Campus Sousa, com informações do CVV

Registrado em: Sousa
Assunto: Campi